App Supermercado.

Aplicativo alerta consumidor sobre alimentos para vencer.

Um empreendedor holandês está levantando o ânimo de consumidores na Europa indignados com o gigantesco volume de alimentos desperdiçados anualmente — cerca de 1,3 bilhão de toneladas. August de Vocht teve uma ideia simples e eficaz: desenvolveu um aplicativo para celular que identifica produtos do varejo com prazo de validade próximo e avisa o consumidor. Um alerta toca no aparelho, mostrando o que está para vencer e onde. Em geral, esses produtos são vendidos com descontos.

 

Utilizado inicialmente apenas na Holanda, o aplicativo NoFoodWasted será levado neste ano para Alemanha, Bélgica e Reino Unido. Para as redes de supermercado trata-se de uma economia significativa, diante dos prejuízos com o descarte de produtos alimentícios que encalham nas prateleiras e perdem o prazo para consumo.

 

Além dos alertas, o aplicativo também permite que o consumidor insira a sua própria lista de compras e receba notificações pelo smartphone quando algum de seus itens entrar em liquidação por conta da validade.

 

Os alertas não são limitados a produtos perecíveis, como frutas, legumes e carnes. Graças a um dispositivo Bluetooth conhecido como “beacon”, fixado embaixo das prateleiras, o app também identifica latas ou alimentos embalados próximas ao vencimento emitindo sons à medida em que o consumidor passa pelas gôndolas.

 

De Vocht estima que as compras de produtos pelo aplicativo levaram a uma economia equivalente a US$ 1,56 milhão em alimentos que, de outra maneira, poderiam ter ido para o lixo.

 

O desperdício de alimentos é um dos grandes temas de sustentabilidade em países desenvolvidos, ainda que seja um problema mundial. Parte do problema está na casa do consumidor, que não o consume a tempo, e parte na cadeia logística do produto. No Brasil, algumas redes varejistas, como o Grupo Pão de Açúcar, começaram oferecer produtos para vencer com descontos, separados em uma gôndola específica. “Mas o mais difícil ainda é mudar o comportamento do consumidor”, admite De Vocht.

 

Lançado em setembro 2014 em 11 supermercados associados, o NoFoodWasted tem atualmente 20 mil acessos por dia e está presente em 175 varejistas do País.

 
 

Fonte: Valor Econômico

ICC - Pesquisa FGV

Confiança do consumidor no Brasil volta a subir em janeiro.

O ano começou com a confiança do consumidor brasileiro em alta diante da melhora das expectativas com a situação presente depois de atingir em dezembro o nível mais baixo desde que o presidente Michel Temer assumiu formalmente a presidência do país, segundo dados da FGV (Fundação Getúlio Vargas) divulgados final de janeiro (25/1).

 

Em janeiro, o ICC (Índice de Confiança do Consumidor) subiu 6,2 pontos e atingiu 79,3 pontos, após terminar 2016 com duas quedas consecutivas. Em dezembro de 2016, o indicador chegou a 73,1 pontos, menor nível desde junho passado.

 

"Embora os níveis de incerteza ainda sejam altos e as perspectivas para o mercado de trabalho continuem ruins neste primeiro semestre, as boas notícias da virada de ano aumentam as chances de uma recuperação da confiança (ou, por enquanto, alívio da desconfiança) nos próximos meses”, disse em nota a coordenadora da pesquisa, Viviane Seda Bittencourt.

 

Segundo a FGV, o ISA (Índice da Situação Atual) avançou 2,9 pontos, para 68,1 pontos. Já o IE (Índice de Expectativas) subiu 8,3 pontos, para 88,1 pontos.

 

 

Fonte: Agência Reuters