6 Passos PDV do Futuro

Os 6 Fatores do PDV do Futuro.

Na abertura do WRC em Roma, palestra sobre design e tecnologia reforça importância do fator humano

 

 

Embora a tecnologia seja predominante nos estandes que ocupam grande parte do hotel Rome Cavalieri, em Roma, a abertura da edição 2015 do World Retail Congress mostrou que, na realidade, tecnologia pode ser ótima, desde que integre o fator humano. Sem isso, é um desperdício de tempo e dinheiro.

 

 

Essa é a opinião do jornalista John Ryan, editor das revistas Retail Week e Drapers, no Reino Unido, e editor europeu da revista americana de design de varejo VMSD. “Colocar tecnologia é fundamental, desde que exista humanidade na loja. Quem tem feito isso muito bem é o varejo de luxo”, afirma. É o caso da Burberry, que equipa todos os vendedores com iPads para que eles possam ter acesso a todas as informações sobre os produtos. “Mas o primeiro passo continua sendo o atendimento personalizado, que diferencia a marca da concorrência”, explica.

 

 

Em sua apresentação, Ryan trouxe inúmeros exemplos de lojas inspiradoras em todo o mundo, chegando a seis fatores essenciais para o que será o PDV do futuro:

 

 

1) Grandes com cara de pequenas

 
As lojas serão cada vez mais aconchegantes. Mesmo grandes lojas de departamentos buscam criar ambientes mais acolhedores, que estimulem o cliente a permanecer por mais tempo, experimentar produtos e comprar.

 

 

2) Tecnologia: invisível ou ao alcance dos dedos

 
Das duas, uma. Ou a tecnologia é tão sutil que passa despercebido, ou está muito aparente e convida o cliente a interagir. Ryan traz, como exemplo, a Pro-Direct, varejista inglesa de artigos esportivos. Há anos a empresa utiliza beacons nos PDVs e suas lojas mais avançadas são totalmente digitais. “Ao mesmo tempo em que os beacons estão escondidos para que o cliente foque os produtos e não a tecnologia, terminais touch screen permitem que os consumidores vejam, em um painel na loja, como ficarão as roupas e calçados que ele escolheu, em uma simulação digital que combina on-line e off-line”, explica. O resultado é um tíquete médio da ordem de £120 (R$ 600,00).

 

 

3) Os pequenos, cada vez mais especializados

 
Para o pequeno varejo, o caminho é a especialização, que agrega experiência e conhecimento ao processo de compra. Na Austrália, a T2 é uma rede de lojas de chá, que não apenas vende folhas embaladas em saquinhos: o ponto de venda é um lugar de experimentação, com um visual encantador, possibilidade de sentir o aroma de cada tipo de chá, preparação da bebida no local e a compra propriamente dita. “O design dos produtos e processos torna a compra muito mais interessante. É lúdico, estimulante e informativo”, comenta Ryan.

 

 

4) Produtos que interagem

 


A Internet das Coisas ainda é, em grande parte, uma promessa. Mas uma promessa muito boa. A Target abriu em San Francisco, nos Estados Unidos, a Open House, uma loja em que os produtos estão conectados e levam as informações aos celulares de quem transita pelo PDV. “A Open House não foi criada com o objetivo de venda, mas bem poderia ser. O engajamento com os clientes acontece na tela que o cliente leva consigo o tempo todo (o celular), uma alternativa mais simples, barata e tecnologicamente avançada que qualquer coisa que o varejista queira implementar”, alerta.

 

 

5) Mais com menos

 
Simplicidade pode ser um diferencial competitivo. A Aesop, marca de cosméticos da Natura com lojas na Europa e Austrália, é um exemplo de empresa que tem na embalagem dos produtos sua marca registrada. “As lojas são completamente diferentes umas das outras, mas o design do produto cria o ambiente e a consistência da marca”, afirma Ryan. Na Mast Brothers, em Londres e Nova York, chocolate é fabricado em um ambiente com cara de laboratório, minimalista.

 

 

6) Mais humanidade será o futuro

 
A loja física não tem impacto se não tiver gente. “É preciso injetar alguma humanidade no processo das lojas, o que é o contrário de colocar telas por toda parte”, diz Ryan. “Trata-se de trazer experiência por meio do contato do cliente com os produtos, usando tecnologia para eliminar o atrito das transações”, explica. “As pessoas, felizmente, gostam de visitar lojas e interagir com os produtos e outras pessoas. A tecnologia precisa vir a reboque disso”, completa.

 

 

Fonte: Portal No Varejo / Renato Muller

Vodca e uisque em alta.

Vodca e Uísque em alta.

As bebidas destiladas cresceram 6% no ano passado em valor sobre 2013, segundo dados da consultoria Mintel. Os destaques ficaram com uísque e vodca, cuja taxa de aumento foi o dobro: 12%.

 

A expansão se manteve em diversas redes supermercadistas no início deste ano. Um dos motivos é o aumento do consumo em casa, que tem dois principais fatores: a queda da alimentação fora do lar e a implementação da lei seca em várias cidades.

 

 

Segundo Antonio José Dornelas Júnior, diretor comercial da Central de Compras Rede Nordeste, as indústrias têm praticado uma política de preço mais agressiva. Ao mesmo tempo, o público vem promovendo mais encontros sociais em casa. “Como faz questão de comemorar datas importantes e festivas, nosso consumidor deixa uma reserva separada para a compra de bebidas”, afirma.

 

 

Com o aumento do consumo de destilados, a Rede Nordeste implantou algumas mudanças. “Hoje a maioria dos itens estão em um local de fácil acesso ao cliente. Antes, permaneciam confinados”, explica Dornelas Júnior. “Redes sociais, pontos extras e mais participação nos encartes são ações que, em conjunto, têm impulsionado maior giro da categoria”.

 

 

Visto a importância de trabalhar melhor estes produtos no seu estabelecimento, consulte a Prol e veja qual a melhor solução para você e seu negócio. Oferecemos projetos, consultoria, entrega e montagem sem custo adicional em todo o Brasil.

 

 

O Savegnago, do interior paulista, aumentou em mais de 50% as vendas de destilados no período. Para Valdir Ribeiro, gerente de trade marketing, a alta é consequência de anúncios internos, gerenciamento por categorias realizado em parceria com a Pernod Ricard e ações promovidas na loja. Em suas lojas, ficam confinados apenas os produtos que custam mais de R$ 300.

 

 

Solicite seu orçamento agora mesmo através do site da Prol: http://prolmoveis.com.br/fale-conosco/

 

 

Fonte: Supermercado Moderno

 

Dicionário merchandising ponto de venda. PDV NEWS

Dicinonário do Merchandising no PDV

Aqui vai uma breve resumo dos principais Materiais de Merchandising no Ponto de Venda, em breve a PDV News irá disponibilizar material completo e lançamento de um livro sobre o assunto.

 

01 – Balcão de Degustação ou Balcão Expositor

 

Sua origem é indeterminada, mas o seu uso no Brasil começou na década de 90 e desde lá os balcões promocionais tem tido papel fundamental na demonstração e degustação de diversos produtos. O mais comum é encontrarmos modelos desmontáveis em madeira ou plástica. Os modelos de madeira geralmente são utilizados para degustações mais sofisticadas pois eles possuem um requinte maior, suportam mais peso e calor, já os balcões plásticos geralmente são utilizados para venda de serviços ou produtos que não exijam peso sobre ele ou calor.

 

Exemplos usuais:

Balcões em madeira;

Balcões em plásticos

 

 

08 – Bandeja de Degustação ou Bandeja Expositora

 

 

Excelente Material de Merchandising e apoio a ações promocionais, essas bandejas geralmente são confeccionadas através de vacuum forming em PSAI e podem ter compartimentos personalizáveis através de divisórias internas. Fixadas sobre os ombros dos promotores permitem que a ação seja móvel o que possibilita um Cross Merchandising dinâmico no Ponto de Venda.

Tradicionalmente as bandejas expositoras são brancas com as alças coloridas de acordo com a comunicação visual, mas existem demandas que exigem bandejas coloridas e estas mudanças estão vinculadas a lotes mínimos para fabricação devido a compra mínima de matéria prima.

 

 

 

02 – Coolers Promocionais:

Coolers Isotérmico;

Coolers Refrigerados.

 

 

03 - Cesto Expositor

 

 

Usualmente fabricado em arame, pode ter acabamento em pintura epóxi (eletrostática) ou cromado é muito utilizado como ilhas fixas para exposição de produtos pequenos e com alto giro, nos corredores geralmente acomodam queijo ralado, mas não se limita a esse produto somente, no departamento de FLV (Frutas, Legumes e Verduras) podem acondicionar frutas mais resistentes a fricção como laranjas, tomates, etc.

 

 

04 – Displays Expositores

 

 

Display expositor é todo e qualquer dispositivo que acomode e demonstre um produto, independente do local de destino, basicamente temos três disposições de display:

Display de balcão;

Display Carona;

 Display de chão.

 

 

 

05 – Régua de Gôndola

 

 

Como o próprio nome diz possui o formato de uma régua, pode ser produzida em papel e diversos materiais plásticos, o que será fator de decisão na matéria prima é o acabamento final da peça e sua duração no Ponto de Venda, já que as peças plásticas possuem uma vida útil infinitamente maior a do papel, para pequenas tiragens é indicada a impressão digital e com a evolução dos equipamentos de impressão hoje já possuímos equipamentos que imprimem diretamente no plástico, para médias tiragens a utilização da serigrafia é a mais indicada, pois a relação custo beneficio pode ser boa, mas se falarmos de grandes tiragens o processo de impressão deve ser o offset, já que a grande maioria das impressoras podem imprimir facilmente mais de 50mil peças numa única hora.

 

Os formatos mais utilizáveis são 30cm x 4cm e 40cm x 4cm, isso se deve ao fato da maioria das gôndolas possuírem 120cm e portanto serem múltiplos, não que isso seja obrigatório e até porque formatos muito utilizados como o Tetra Pak possuem 7,5cm e 10cm que também fazem múltiplos aos formatos citados.

 

 

 

05 – Faixa de Gôndola

 

 

A única diferença entre a régua e a faixa de gôndola é que na faixa ela necessariamente deve ter um formato em “L”, para sua fixação na gôndola geralmente são utilizados fitas dupla face, as medidas de largura que devem ser consideradas são as mesmas das réguas, mas o departamento de criação deve ficar atento a altura do frontal, pois ao mesmo tempo que se deve chamar atenção no Ponto de Venda , não pode tampar a embalagem do produto.

 

 

 

05 – Cantoneira de Gôndola

 

 

Também produzida no formato “L” somente com uma dobra a mais pois o frontal deve acomodar uma régua de gôndola ou precificadores do próprio varejo, por esse motivo ela deve ser produzida em material transparente, geralmente este tipo de material é produzido para a marca institucional e seu propósito é demarcar lugar na gôndola e segurar lugar na possíveis rupturas de produto. As medidas utilizadas geralmente são 30cm x 5cm e 40cm x 5cm.

 

 

 

11 – Wobbler ou Dangler

 

 

É um material de Merchandising utilizado geralmente em supermercados, é colocado a frente das prateleiras das gôndolas, geralmente na altura dos olhos, com o intuito de informar sobre um lançamento ou somente sobre as vantagens de adquirir determinado produto. Seu formato geralmente é redondo em torno de 15 a 18 centímetros de diâmetro, outra característica do Wobbler é que normalmente ele é sustentado por uma haste de plástico transparente, Acetado caso ele seja fabricado em papel (para campanhas curtas) ou no próprio material que ele é fabricado, geralmente ele é encaixado no perfil porta etiquetas ou por baixo do produto e fica “flutuando” em frente à prateleira. Wobbler é um dos material de Merchandising mais utilizados em Ações Promocionais no Ponto de Venda pelo seu baixo custo de produção, embora estatísticas provem que sua duração na gôndola é menor que 7 dias em média.

 

 

 

12 – Stopper ou Divisor de Categorias

 

 

A diferença básica entre o Stopper e um Divisor de Categorias é no seu tamanho, por tradição os Stoppers possuem de 20 a 40 centímetros de altura e com o máximo de 15 centímetros de largura para não atrapalhar a locomoção no Ponto de Venda, já que ele fica perpendicular a gôndola. Existem dois tipos básicos de Stoppers os produzidos em papel que são indicados para campanhas curtas e são fixados por dobras especiais e fitas dupla face, já os feitos em material plástico (PSAI, PETG, Acrílico, etc) estes são indicados para durar mais no Ponto de Venda e são fixados através de suportes mais robustos e com roscas ajustáveis, o Grupo HSD desenvolveu um método de fixação exclusivo e patenteado que além de ser ecologicamente correto, propicia níveis altíssimos de produção.

 

 

 

10 – Tira Strip

 

 

Material basicamente utilizado para Cross Merchandising e estimulo da compra por impulso, basicamente é uma tira plástica com diversas cavidades onde se fixam os produtos, possuem uma testeira superior para exploração de marca ou ação da campanha, quando os produtos como caixas não possuem suporte ou aste para fixação são utilizados Hang Tabs para fixar o produto na Tira Strip. Um exemplo clássico de uso são as tiras com queijo ralado no corredor do macarrão, ou as tiras com pacotes de salgadinho nos corredores de cerveja.

 

 

 

06 – Moldura de Gôndola

 

 

Serve para demarcar frontalmente e delimitar o espaço da categoria de produtos na Gôndola, geralmente fabricada em PS ela deve ser retrátil para facilitar a montagem e adequação em diversos Pontos de Venda.

 

 

 

07 – Organizador de Gôndola

 

 

Bandeja organizadora de gôndola, feita para demarcar e organizar produtos pequenos como saquinhos de sucos e sopas, ou pequenas caixas com a de achocolatados e sucos infantis, pode ser personalizada e injetada em material 100% reciclado.

 

 

Solicite um orçamento e tenha a Prol idealizando o projeto ideal para sua loja com as melhores soluções para seu negócio, para seu bolso e com a qualidade tradicional Prol.

 

 

Fonte: PDV NEWS

Neuromarketing Você Também Pode. 2/6: Informática Neuromarketing - Informática

Série Neuromarketing – Você Também Pode. (2/6: Informática)

Nesta série mostramos algumas estratégias e técnicas de neuromarketing para conquistar os consumidores. Bem-vindo à série “Neuromarketing – Você também pode”.

 

Dividiremos em 6 partes essa série: Lanchonete, Informática, Departamentos, Lingerie, Restaurantes, Supermercado.

 

(Veja primeira parte "1/6: Lanchonete" aqui - http://prolmoveis.com.br/serie-neuromarketing-voce-tambem-pode-16-lanchonete/ )

 

Hoje o assunto é INFORMÁTICA.

 

Neuromarketing - Informática

 

1) SOM NA LOJA

 

Uma pesquisa no Reino Unido revelou que uma música agradável faz o consumidor ficar mais tempo na loja, ter vontade de voltar, recomendar para outras pessoas e gastar mais.

 

2) FOCO NOS PRODUTOS

 

As lojas de informática costumam ter pé-direito baixo. O objetivo é fazer o consumidor se concentrar mais nos detalhes dos produtos, atitude essencial para a venda.

 

3) PRODUTO PREMIUM

 

Alguns produtos são colocados em áreas mais nobres das lojas. Isso dá a ideia de que são mais inovadores e de maior qualidade. Geralmente, esses produtos têm margens de lucro maiores.

 

No próximo episódio da série iremos falar sobre ambientes de DEPARTAMENTOS, que tal? Fique de olho que o "Neuromarketing - Você Também Pode" volta semana que vem!

 

 

Fonte: Uol Economia

Neuromarketing Você Também Pode Neuromarketing Você Também Pode - 1/6 Lanchonete

Série Neuromarketing – Você Também Pode. (1/6: Lanchonete)

Nesta série mostraremos algumas estratégias e técnicas de neuromarketing para conquistar os consumidores. Bem-vindo à série “Neuromarketing – Você também pode”.

 

Para atrair a atenção dos consumidores, o comércio usa estratégias de neuromarketing. O jeito como o preço de um produto é informado, a cor usada na parede da loja e até a música estão ali pra influenciar você consumir mais.

 

Dividiremos em 6 partes essa série: Lanchonete, Lingerie, Departamentos, Restaurantes, Supermercado, Informática.

 

Que tal começarmos com LANCHONETES!?

 

Neuromarketing Você Também Pode - 1/6 Lanchonete

 

1) CORES QUE DÃO FOME

 

O vermelho estimula o apetite. Nas lanchonetes de fast food, essa cor está em logotipos, mobiliários e embalagens. O consumidor fica com mais fome e come mais rápido, dando espaço para outros clientes.

 

2) ESCOLHA RÁPIDA

 

O cardápio não tem muitas opções porque, se a variedade for muito grande, o consumidor demora mais para escolher.

 

3) CHAMAR A ATENÇÃO DAS CRIANÇAS

 

Oferecer brindes é a principal estratégia para atrair as crianças. Algumas lanchonetes até vendem os brinquedos separadamente, mas sozinhos eles custam apenas R$ 2 ou R$ 3 menos do que o kit completo.

 

No próximo episódio da série iremos falar sobre ambientes de INFORMÁTICA, que tal?

Fique de olho que o Neuromarketing - Você Também Pode volta semana que vem!

 

 

Fonte: Uol Economia

Prepare-se para o Natal

Prepare-se para vender mais no Natal e Ano Novo.

Claro que você já deve ter tomado todas as providências necessárias para aproveitar a melhor época do ano para vender. Mas lembre-se sempre de não descuidar dos detalhes. Nós sugerimos algumas soluções bem viáveis, que vão ajudá-lo muito.

 

Prepare seus estoques, deixe tudo sempre o mais organizado possível, mantenha em seu caixa os produtos de oportunidade sempre visíveis, atenda bem e seja rápido. Esse é um momento em que toda a sua estrutura precisa estar de acordo com o fluxo de pessoas que querem ser atendidos por você.

 

Aproveite essa oportunidade para fidelizar. Crie cadastros, ofereça cupons de desconto para que haja retorno a loja, oriente a equipe a instigas or compradores a tornarem-se clientes e voltarem sempre.

 

Antes de encerrar as festas ofereça pacotes de produtos. Mostre ao cliente o quanto sua empresa se preocupa em oferecer produtos de qualidade com bons preços e esvazie logo os seus estoques para que antes do fim do ano você já possa pensar em repô-lo.

 

Aproveite os cadastros já feitos para fazer o seu marketing. Esse é um momento em que as pessoas estão interessadas em comprar, em pesquisar e adquirir vantagens. Mostre que você tem tudo isso, envie emails, sms e todos os outros recursos que achar convenientes, mas sem incomodar, não exagere.

 

E em tudo isso, no que depender da Prol, para seus checkouts, móveis, estantes, armários e outras soluções, pode contar, seu fim de ano será incrível.

 

Fonte:  Makro

Facilite a busca de produtos nas prateleiras e gôndolas. Facilite pdv

Facilite a busca de produtos nas suas prateleiras.

Quem nos acompanha nas redes sociais já deve ter visto algumas das nossas publicações que sugerem melhorias na visualização dos produtos nas prateleiras. A última publicação mais memorável, aponta inclusive qual a altura ideal para distribuição dos produtos:

 

À Altura da cabeça: Produtos mais baratos e de menor interesse.
À altura dos olhos: Produtos mais caros que podem ser comprados por impulso.
À altura das mãos: Produtos de grande procura.
Abaixo da cintura: Produtos de compra obrigatória, mais baratos que das prateleiras superiores. Produtos para crianças.
No chão: Produtos de grande volume ou pesados.

 

Para facilitar essa organização, o ideal são as gôndolas Prol. A linha Prime, por exemplo, tem regulagem de altura das prateleiras que aumentam a capacidade de exposição em até 16% e possui ainda 3 variações de medidas: Class – primeira linha, Smart – linha compacta e Light – ideal para farmácias. E essa é apenas uma das linhas Prol.

 

Para reforçar a organização proporcionada por essas gôndolas, outra dica é subdividir os produtos por categorias mais específicas como no caso de cremes para pele, que podem ser divididos em: oleosa, mista e normal.
E se, mesmo assim, as embalagens continuarem causando confusões, materiais de merchandising ajudam e muito, ambientando o espaço e a comunicação da loja.

 

Utilize sinalizações como placas aéreas, que indiquem a categoria dos produtos como bebidas, higiene pessoal e limpeza. Displays de chão, que ficam fixos e podem ajudar em ações promocionais específicas.

 

Wobblers ou stoppers, plaquinhas que ficam anexas às prateleiras e facilitam a identificação de cada item ou valor promocional e delimitam a exposição verticalmente.

 

Não economize recursos, mas tenha também o cuidado de não deixar a loja poluída visualmente, com excessos no caminho do cliente. Ele precisa sentir-se ambientado e à vontade para escolher o que deseja. Esses recursos podem facilitar a identificação, proporcionando mais conforto e praticidade para o consumidor e, giro de produtos mais rápido para você que é revendedor.

 

Quer saber mais sobre as soluções em gôndolas Prol? Dê uma olhada em algumas delas e lembre-se sempre que estamos à disposição para auxiliar você a personalizar seu projeto e seu espaço.
http://prolmoveis.com.br/portfolio/gondolas/

 

Nosso Facebook é: www.facebook.com/prolmoveismt

Suporte especial para ação Puríssima. PDV.

Diferenciais que destacam os produtos no PDV

Ofertas, novas embalagens, promoções, é o que mais se vê logo na entrada de um estabelecimento comercial como supermercado. Bom para o cliente! Que tem sempre novos fatores decisivos na compra. Mas para as marcas, conseguir manter-se em destaque pode ser um grande desafio.

 

O problema começa na busca por uma boa localização. Estar diante dos olhos e ao alcance das mãos dos clientes é extremamente importante. Mas isso não é tudo. Saber organizar e expor os produtos também pode ser fator determinante.

 

Por esses e outros motivos, ao escolher seus expositores, prefira os produtos Prol, que além de manter a qualidade e visibilidade dos produtos, são altamente duráveis, tem acabamento perfeito, são resistentes, funcionais e podem ser entregues em todo o Brasil por preços justos.

 

E se você quer incrementar, vale a pena investir na criatividade que os produtos Prol oferecem. Com cores, formatos e acabamentos diferenciados você vai sentir a segurança que precisa para inovar, atrair e superar os seus resultados.
Fuja das convenções e dê aos seus produtos a identidade que eles precisam para serem vistos e lembrados.

 

Faça como fez a Água Mineral Puríssima que, em parceria com a Prol, montou um suporte especial para suas garrafas, deixando o produto à disposição para os frequentadores do Goiabeiras Shopping, marcando assim a data do aniversário da cidade e refrescando a memória das pessoas, lembrando do valor intrínseco da marca. Veja toda a ação e o resultado.

 

 

Além da criatividade, organização e inovação nos pontos de venda, outro grande fator de sucesso que pode ser utilizado, são as ofertas relâmpago, com itens selecionados vendidos a preços expressivamente mais baixos. Para a exposição desses produtos a Prol também tem as melhores soluções em gôndolas de canto, compactas, centrais com dupla face e várias outras.

 

Descubra qual a melhor maneira de estreitar laços com o seu cliente, utilizando as ideias e as ferramentas certas. Procure nossa equipe de vendedores e juntos vamos desenvolver a melhor solução para aumentar suas vendas e ajudar a sua marca a se transformar em uma referência no mercado.

PDV_ponto de venda_Prol Móveis de Aço_Blog

Hábitos de consumo influenciam a organização dos PDV’s.

Para que o ponto de vendas apresente resultados positivos é preciso utilizar inteligência, organização e criatividade ao expor os produtos. Os PDV’s, se bem dispostos, deixam as lojas mais interessantes e atrativas, os corredores ganham ares de sofisticação, encantando e seduzindo os consumidores, proporcionando experiências de compra muito mais prazerosas.

 

Um bom motivo para acreditar e investir nos Pontos de Venda é o crescimento da classe média brasileira. Hoje esse grupo representa 54% da população.
De acordo com estudo feito pelo Serasa Experian, em conjunto com o Instituto Data Popular, essa classe é hoje composta por mais de 108 milhões de pessoas que gastaram mais de R$ 1,17 trilhão em 2013 e movimentaram 58% do crédito no Brasil. A pesquisa mostra ainda que a classe C está mais concentrada na Região Sudeste, com 43%, seguida pelas regiões Nordeste (26%), Sul (15%), Centro-Oeste (8%) e Norte (8%). Vale a pena ou não investir?

 

Com renda familiar mais elevada e fácil acesso a crédito, o grau de exigência desse público cresceu e a busca agora é por qualidade, variedade e diferenciações. Experiências inovadoras ao alcance das mãos prevalece, deixando de lado a necessidade apenas de preços baixos.

 

Para essa finalidade o PDV pode ser considerado uma mídia diferenciada, que expõe os produtos e faz os consumidores lembrarem de determinados produtos. Em uma pesquisa realizada nos Estados Unidos, sob supervisão do Popai (Point of Purchase Advertising Institute), foi analisado o comportamento de comprade 4.200 pessoas em 14 cidades. De longe, o fator que mais motivou a compra por impulso foi a exposição. 42% dos consumidores dizem lembrar-se de itens de que precisavam ao vê-los nas prateleiras.

 

Se você também quer dar um destaque especial a alguns produtos específicos, conheça a Linha de Gôndolas Prol Prime, projetada em Sistema Passo 25, que permite melhor regulagem de altura das prateleiras, proporciona um aumento na capacidade expositiva de até 16% e está aliada a acessórios Prol como: organizadores, prateleiras, ganchos, cestos e displays. Com esses recursos você pode conseguir um maior faturamento por metro quadrado, explorando estratégias baseadas nos hábitos de consumo de seus clientes, induzindo a compra por impulso e lembrança.

 

Fique atento às expectativas dos seus clientes. Conheça essa linha de gôndolas da Prol Móveis de Aço que também contam com mão-francesa, permitindo até 3 posições de ajustes de prateleiras, deixando sua loja mais dinâmica, potencializando as seções e linhas de produtos que têm pouca saída.

 

Reformule a organização do seu espaço e deixe-o mais sofisticado, atrativo e rentável, adequando as melhores soluções às necessidades da sua loja. Para essas e outras soluções, conte com a Prol.