Varejo Dia das Mães 2017

Preço vai pesar mais na compra do Dia das Mães.

Preço, promoção e descontos serão os fatores mais importantes na compra de presentes para o Dia das Mães em 2017.

 

Levantamento da Boa Vista SCPC constatou que 43% dos filhos levarão em conta esse quesito.


Em relação ao ano anterior, a alta é de 17 pontos percentuais.

 

Em 2016, o desejo das mães era o atributo mais considerado na hora da decisão, citado por cerca de 30% dos entrevistados.


Neste levantamento, o percentual caiu para 12%.

 

O valor médio dos presentes deve ficar em torno de R$ 197, em termos nominais. Entretanto, foi registrado crescimento entre os pretendem gastar até R$ 100: 48% neste ano, contra 55% de 2016.

 

As lojas físicas continuam tendo a preferência de 90% dos consumidores, enquanto o e-commerce fica com 10%.

 

Mais uma vez, produtos mais caros e dependentes de crédito, como eletrodomésticos e móveis, por exemplo, perdem força na intenção de compra. E o presente mais adequado ao orçamento apertado será algum item pessoal, como calçado ou vestuário.

 

SHOPPING - Curiosamente, caiu a participação do shopping como o local preferido para as compras. Ele foi apontado por 43% dos entrevistados no ano passado e agora apareceu na preferência 36%. O resultado é inferior ao das lojas de rua e de bairro, que ficaram com 41% das respostas neste ano.

 

Quanto à forma de pagamento, a maioria (77%) planeja quitar a compra à vista e em dinheiro (50%) para evitar o endividamento.

 
 
Fonte: O Estado de São Paulo

Dia das criancas-pesquisa comércio brasileiro

Dia das Crianças Deve Movimentar R$ 7,3 Bilhões no Comércio Brasileiro.

O comércio brasileiro deve movimentar uma receita em torno de R$ 7,3 bilhões com as vendas relacionadas ao Dia das Crianças. É o que revela pesquisa nacional Fecomércio RJ/Ipsos.

 

De acordo com o levantamento, 40% dos consumidores brasileiros pretendem adquirir algum produto na data comemorativa.

 

Como já é tradição no Dia das Crianças, entre as opções preferidas de presente, 59% responderam que darão brinquedos, 27% roupas, 7% calçados e 3% bicicletas. Neste ano, o tíquete médio para a compra de todos os presentes está em torno de R$ 118,87. Quando o gasto médio é dividido por gêneros, este ano, os homens serão um pouco mais generosos, com intenção de gastar, em média, R$ 125,37. As mulheres, por sua vez, afirmaram que têm a intenção de gastar cerca de R$ 113,35.

 

Pagamentos à vista

 

De olho na conjuntura econômica, cerca de 7 em cada 10 consumidores brasileiros (71%) informaram que pretendem adquirir os produtos para a data comemorativa por meio do pagamento à vista. O percentual continua praticamente estável quando comparado ao mesmo período do ano passado, quando 73% dos brasileiros tinham esta intenção.

 

A pesquisa foi realizada pela Fecomércio RJ/Ipsos, no período de 30 de julho a 9 de agosto de 2016, com amostra de 1.200 entrevistados no Rio de Janeiro, São Paulo, Belo Horizonte, Vitória, Florianópolis, Salvador, Recife e em mais 65 municípios brasileiros.

 

Prepara-se para vender mais no Dia das Crianças

 

Dicas do Sebrae/RS para as empresas que ainda não se prepararam para aproveitar a data, comemorada em 12 de outubro.
As lojas que ainda não se prepararam para receber pais, tios, padrinhos e também as crianças, que vão pessoalmente escolher os seus presentes, ainda têm tempo para se prepararem.

 

Criar um ambiente convidativo com foco nas crianças - Carrocinha de pipoca, guloseimas, balões coloridos, espaço na loja para desenhos e pinturas, tatuagens infantis. Todas essas atrações chamam a atenção das crianças e tornam-se diferenciais na hora de escolher o estabelecimento para realizar as compras.
Para atrair ainda mais os pequenos, é interessante que a equipe de vendas esteja usando uniformes lúdicos como boné colorido, avental ou camiseta.

 

Outra sugestão é colocar adesivos antiderrapantes no chão com desafios lúdicos como, por exemplo, jogos de tabuleiro, caça ao tesouro, amarelinha, trilhas que estimulem a curiosidade.
Segundo a técnica, esta é uma forma de fazer, também, o cliente conhecer a loja inteira e o que ela tem para oferecer.
Basta ser criativo e lembrar: quem paga são os adultos, mas as crianças, em grande parte, são as decisoras finais da compra.

 

Seguem abaixo outras dicas que podem ajudar o empreendedor a vender mais no Dia das Crianças:
 

• Mantenha o cadastro dos clientes atualizado (nome, telefone, e-mail);
 
• Avise o cliente (pode ser e-mail marketing; mensagem SMS, Rede Social) que a loja está pronta para recebê-lo e ofereça dicas de presentes;
 
• Promova sorteios de brindes: jogos, livros, caça-palavras, cubo mágico. Dê preferência para brindes educativos;
 
• Busque vendas futuras. Não foque somente no “aqui e agora”;
 
• Agrade os adultos pais e os adultos que não têm filhos, pois podem presentear afilhados, sobrinhos e amigos;
 
• Ofereça um excelente atendimento, olhe nos olhos do cliente, fale sorrindo, utilize suas experiências: "meu afilhado levou este produto e gostou muito";
 
• Disponibilize condições atraentes de pagamento;
 
• Conheça o produto – muitas pessoas que não tem filhos saem à procura de presentes para crianças. O atendente deve perguntar idade da criança, quais são os seus hobbies, se gosta de ler, se é discreto, se tem brinquedos eletrônicos, ou seja, fazer perguntas que possam ajudar o adulto a fazer as escolhas;
 
• Estimule no atendente as vendas adicionais: Se o cliente vai levar um kit de lápis de cor, ofereça um estojo; se vai levar uma roupa ofereça uma peça adicional, um acessório, por exemplo;
 
• Faça um pós-venda. Os clientes se surpreendem ao receber uma ligação cujo objetivo é apenas perguntar se sentiu-se bem atendido e se o produto ou o serviço atenderam sua expectativa.
 
• Reveja a disposição, vitrine, exposição dos seus produtos. Para isso, você já sabe...pode contar com a ajuda da Prol. Solicite um orçamento e boas vendas!

 
 
Fontes: Portal Eletrolar e Sebrae/RS

O que esperar do Natal 2015

O que esperar do Natal deste ano 2015?

Segundo especialistas e supermercadistas, o Natal de 2015 exigirá cuidado na compra dos produtos sazonais, sobretudo importados, como bacalhau

 

Neste ano, as condições econômicas desfavoráveis e a recente queda nas vendas, darão um novo rosto ao Natal do varejo. “Será preciso, por exemplo, atenção redobrada na compra de produtos e formação de estoque, para não prejudicar o capital de giro e terminar o ano super estocado”, alerta Ari Kertesz, sócio da consultoria McKinsey.

 

Também será preciso gerenciar melhor o estoque de categorias como bacalhau e frutas secas, cuja importação, por conta da alta do dólar, deverá ser afetada.

 

O dinheiro curto do consumidor deverá ainda impor novas atitudes aos supermercadistas. Embora a maioria não esteja pessimista quanto às vendas – espera aumento entre 3% e 5% –, acredita que só conseguirá tal resultado se investir pesado em promoções.

 

A gaúcha Rissul, 40 unidades, seguirá esse caminho. Vai colocar em promoção produtos natalinos e também aqueles que têm a procura elevada em função de férias e verão. “Já estamos com kits de inseticida “leve três pague dois”, pois a demanda cresce bastante nessa época”, conta Nei Luis Dellagustin, superintendente de compras da rede.

 

Outra aposta do varejo, segundo Ari Kertesz, serão as embalagens maiores e com descontos. Segundo ele, esse será o Natal da economia.

 

 

Fonte: Supermercado Moderno